O NOSTRADAMUS BRASILEIRO

Há um lado escatológico da Paulicéia que pouca gente conhece. A cidade de São Paulo também teve seus profetas, que não titubearam em anunciar glórias imperiais para ela. Uma dessas figuras é o controvertido profeta paulistano Plinio Rolim de Moura (1911-2001), cognominado “profeta de São Paulo”.
Por Bira Câmara

Conhecido no passado por várias predições acertadas e outras tantas rolim-webmalfadadas, Rolim de Moura não se apresentava como mero astrólogo ou numerólogo; fazia questão de declarar que suas antevisões do futuro se baseavam na “ciência teocósmica” (termo cunhado por ele), que reunia piramidologia, cabala apocalíptica e numerologia. Mas não parava por aí: além de basear-se no Evangelho de S. João e nas Centúrias de Nostradamus, rasgava seda para o “Capital” de Karl Marx considerando-o superior à própria Bíblia, ao Corão e outros textos sagrados.
Nos anos 80 o Brasil vivia um período de efervescência política, com freqüentes mobilizações populares pela anistia e a democratização do país. Paralelamente, os místicos, astrólogos e esotéricos alimentavam um clima de expectativa e ansiedade pela aproximação do fim do milênio, espalhando profecias apocalípticas e previsões de cataclismas e guerras. Nostradamus, como sempre, era evocado a torto e a direito. No Brasil, alguns ufólogos chegados a uma mesa branca divulgaram mensagens de extraterrestres que anunciavam o eminente desaparecimento das cidades litorâneas, tragadas pelas águas do mar por causa da “inclinação” do eixo terrestre. Houve quem vendesse apressadamente propriedades na cidade de Santos para refugiar-se no Planalto Central e escapar do desastre fazendo a alegria de espertalhões e especuladores imobiliários…
Rolim de Moura era um dos profetas que apareciam regularmente na imprensa para falar de suas antevisões do futuro. Segundo elas, a terceira guerra mundial arrasaria as grandes potências mas deixaria o Brasil intacto, de braços abertos para abrigar os sobreviventes da hecatombe. São Paulo, predestinada a ser o berço de um grande império como foi no passado a antiga Roma, assumiria o controle total do país e de toda a América do Sul. Uma de suas teorias abstrusas é que todos os grandes impérios nascem às margens de rios cujo nome começa pela letra T: Lisboa tem o Tejo, Londres o Tâmisa, a Babilônia tinha o Tibre, Roma o Tevere, e São Paulo tem o Tietê e o Tamanduateí! Só não se lembrou que o grande império egípcio prosperou graças às águas do Nilo…
Nos anos 30, 40 e 50 ele notabilizou-se por várias predições acertadas e foi assessor de alguns políticos de projeção nacional. Sua reputação de adivinho infalível o tornou solicitado por políticos ávidos em saber o que o futuro lhes reservava. Escreveu livros e juntou adeptos que queriam conhecer a sua “ciência”. Tinha convicção da vitória do socialismo no mundo inteiro, era antisionista e anti-americano declarado, e não teve medo de pôr no papel suas idéias mesmo durante o período da ditadura. É estranho que, mesmo rasgando elogios ao comunismo e predizendo a futura socialização do país, não tenha sido molestado pelo regime militar. Talvez tenha escapado impune porque seus livros não eram levados a sério por ninguém e acabavam encalhando nas livrarias…
Nos anos 80, em idade avançada e preocupado em deixar sucessor para dar continuidade a sua obra, Rolim tentou achar um candidato que preenchesse os quesitos necessários para isso. Aparentemente não teve sucesso, mesmo prometendo ao seu discípulo financiar-lhe passagem e estadia aos “7 pontos” da geografia apocalíptica (Roma, Meca, Egito, Israel, Índia, Bagdá, …). Dagomir Marchesi, que o entrevistou nos anos 80 para a revista Planeta, foi convidado para esta missão mas recusou o convite…
JEOVÁ, UM EXTRATERRESTRE?
Para Rolim, Yehvé – o Jeová do Velho Testamento –, não é um poder cósmico invisível mas “um extraterreno que – como qualquer criatura terrena – se arrepende dos atos que comete”. Foi exilado para a Terra, depois de ter fracassado na tentativa de tomar o poder na galáxia e preso aqui por mil anos. Uma vez neste planeta, fundou duas raças (arianos e semitas) para dominá-lo através da força e da astúcia. Mas o plano não teria dado certo porque acabaram brigando entre si.
capa-rolim-webNa sua interpretação do Apocalipse identificou nos Estados Unidos, na Rússia e na China três dos quatro cavalos citados no texto bíblico; o quarto, que seria o vitorioso nesta batalha final, supõe tratar-se do Brasil! O sionismo, obra de Yehvé, aliado ao poder militar, religioso e financeiro que dominam os Estados Unidos, iniciará o apocalipse ao tentar defender as jazidas de petróleo do Oriente Médio. O interessante é que, embora condenando o sionismo, Rolim não se alinhou à uma ideologia de direita, o que é praxe no pessoal que junta ocultismo, religião e política, como o sinistro Lopez de Rega, astrólogo e ministro do ditador argentino Peron. Pelo contrário, além de elogios ao marxismo fazia críticas contundentes ao regime capitalista. Depois de analisar os livros sagrados das grandes religiões – a Bíblia, os Vedas e o Corão –, concluiu que todos resultaram em obras nefastas para os povos que os produziram e adotaram. Para ele O Capital de Karl Marx, é uma obra superior a todos estes textos, pois teria produzido frutos muito melhores, ou seja: uma sociedade justa e igualitária… Estas idéias estão expostas no livro “Carta Aberta”, publicado em 1980.
Segundo Rolim, os últimos anos do milênio seriam marcados pela consumação das profecias bíblicas e a destruição de um terço da humanidade. De acordo com suas profecias, a cidade de São Paulo está destinada a ser o berço de um novo império, representado no texto bíblico pelo cavalo branco e que assumirá a supremacia do planeta após a terceira guerra mundial. Para isso, São Paulo “recomporá o seu território, que foi desmembrado injustamente, alimentando a nação e depois estendendo seu poder econômico por todo o continente Sul-Americano.” No ano de 1989 haveria a implantação de um regime socialista no Brasil, unindo socialismo e democracia, possível graças a um “ajuste entre o Partido Comunista e a Igreja Católica”. Ao juntar Cristo e Marx, os brasileiros – poupados da guerra entre as grandes potências – assumiriam a hegemonia mundial. Curiosamente, 1989 coincidiu com as eleições diretas no Brasil, a eleição de Collor, o desmantelamento do regime soviético e a queda do muro de Berlim.
Rolim de Moura teve o mérito de ser um dos raros profetas a enunciar de maneira clara suas previsões, fixando datas. De acordo com elas, Carter deveria ter sido reeleito em 1980 e assassinado ou deposto no ano seguinte; em 1984 haveria uma guerra convencional entre Rússia e Estados Unidos pela conquista do Golfo Persa; entre 88 e 89, guerra nuclear entre ambos e socialização do Brasil; em 1999, Rússia e China entrariam em choque, com a vitória dos chineses e, finalmente, a partir de 2009 o Brasil ocuparia posição de hegemonia sobre os demais países. Para a América Latina está reservada a missão de abrigar o que restar da humanidade destroçada pelas guerras, tornando-se uma grande Arca de Noé!
Embora tenha errado todas estas profecias, Rolim ganhou o título de “profeta de São Paulo”, graças à fama conquistada no passado por algumas predições que deram certo. Diz-se que previu a revolução de 1930, a deposição de Washington Luíz, a permanência de Getúlio Vargas no poder por mais de dez anos e a revolução de 64. Teve participação vitoriosa em várias campanhas políticas, apoiando sempre candidatos vitoriosos e recebeu elogios de Vargas, de Jânio Quadros e de Juscelino. Uma de suas últimas previsões falhou melancolicamente: segundo Rolim, o primeiro presidente civil eleito no Brasil após o fim do regime militar haveria de ser também o primeiro governador eleito de São Paulo. Na época, sua afirmativa de que teria a letra M como inicial de seu nome levou a muitas especulações, falando-se em Montoro e Maluf como possíveis presidenciáveis. No fundo, era um otimista incorrigível: previu para este primeiro governante brasileiro eleito pelo voto após o ciclo militar o status de grande líder político, estadista e agente de profundas transformações sociais. Seu nome ocuparia um lugar de destaque na história da humanidade, ao lado de Moisés, Messias, Sakia Muni, Maomé, Marx e Mao Tsé Tung! O Collor de Melo sabia?
Por tudo isso, se Rolim de Moura não tivesse existido, mereceria ter sido inventado.

Publicado no Jornal do Bibliófilo, N° 5, agosto de 2006

Bibliografia:
Dagomir Marquezi, O Profeta de São Paulo, Revista Planeta, N° 127, Abril de 83
Plinio Rolim de Moura, A Decifração do Enigma de Deus, Editora Gama, 1984
Plinio Rolim de Moura, Carta Aberta, L. Oren Editora, 1980
Plinio Rolim de Moura, O Grande complô, Ed. Brasiliense, 1965

3 comments for “O NOSTRADAMUS BRASILEIRO

  1. LANDEL MOURA
    19 de agosto de 2009 at 19:03

    CONHECI PESSOALMENTE O SR. ROLLIM DE MOURA EM 1988 NUM ENCONTRO QUE TIVEMOS NO SEU CENTRO DE ESTUDOS NO EDIFICIO ALZIRO ZARUR E EM SEU APARTAMENTO NO LARGO DO AROUCHE. NA ÉPOCA HAVIA ENVIADO A ELE UM ESTUDO QUE HAVIA FEITO SOBRE A DECIFRAÇÃO DO LIVRO DO APOCALIPSE. O COMENTÁRIO QUE O CEL.ROLLIM ME FEZ A RESPEITO DESSE ESTUDO FOI O SEGUINTE:

    “ESSE É O MELHOR ESTUDO SOBRE AS PROFECIAS DO APOCALIPSE QUE JÁ FOI FEITO DESDE ISSAC NEWTON.!

    NA OCASIÃO ELE ME DEU TRÊS LIVROS DE SUA AUTORIA: CARTA ABERTA, O ENIGMA DE DEUS E A DECIFRAÇÃO DO ENIGMA DE DEUS.

    NA MESMA ÉPOCA O SR. ROLLIM ME DISSE ENTRE OUTRAS COISAS QUE JEOVÁ OU YHEVHÉ – O deus DOS JUDEUS NÃO ERA DEUS, MAS, SIM UM EXTRATERRESTRE QUE ASSUMIRIA O PODER NA TERRA E DETONARIA A GUERRA DO FIM DO MUNDO. FALOU-SE TAMBÉM QUE A MAÇONARIA CONTROLAVA A POLÍTICA, A RELIGIÃO E A ECONOMIA MUNDIAL.

    ACHEI TUDO AQUILO UM POUCO FORA DE PROPÓSITO E NÃO CONCORDEI MUITO COM ALGUNS PONTOS, AO QUE ELE ME DISSE QUE ISSO EU DESCOBRIRIA MAIS TARDE, QUANDO EU FOSSE MAIS HUMILDE E QUANDO FOSSE A HORA CERTA.

    SOMENTE 20 ANOS DEPOIS EU VIM COMPREENDER E CONCORDAR COM QUASE TUDO AQUILO QUE ELE ME DISSE NAQUELE ENCONTRO. APRIMOREI OS MEUS ESTUDOS E CHEGUEI A UMA CONCLUSÃO DEFINITIVA SOBRE A PROFECIA DO LIVRO DO APOCALIPSE, O QUE POSSIBILITOU-ME CONCLUIR O LIVRO QUE ESTAVA EU PREPARANDO JÁ A 26 ANOS A RESPEITO DO TEMA, LIVRO ESSE QUE JÁ ESTÁ DEVIDAMENTE REGISTRADO NA BIBLIOTECA NACIONAL DESDE 2008 E QUE JÁ FOI ENVIADO A DUAS EDITORAS: OBJETIVA E RECORD, DAS QUAIS AINDA NÃO OBTIVE RESPOSTA POSITIVA. NÃO TENHO CONDIÇÕES DE ARCAR AINDA COM OS CUSTOS DE UMA EDIÇÃO PRÓPRIA E AS EDITORAS EM GERAL SÓ ESTÃO PUBLICANDO LIVROS DE AUTORES CONHECIDOS.SE AO MENOS EU TIVESSE ALGUÉM QUE PATROCINASSE A MINHA EDIÇÃO OU ALGUÉM QUE TIVESSE ALGUMA RELAÇÃO COM ALGUMA EDITORA, QUEM SABE O MEU LIVRO TERIA ALGUMA CHANCE DE SER PUBLICADO.

    NA ABERTURA DE MEU LIVRO, FIZ QUESTÃO DE DIZER ALGUMAS PALAVRAS IN MEMORIAM DO CEL. PLÍNIO ROLLIM DE MOURA.

    BEM, O FATO É QUE DEPOIS DAQUELE ENCONTRO EU NUNCA MAIS TIVE CONTATO COM O SR. ROLLIM DE MOURA.

    GOSTARIA DE SABER O QUE FOI FEITO DO TRABALHO DELE E SE ELE CONSEGUIU ENCONTRAR O SEU SUCESSOR OU DISCÍPULO?

    PARA SABER MAIS A RESPEITO DESSE MEU TRABALHO DE 26 ANOS DE ESTUDOS E PESQUISAS SUGIRO QUE DÊ UMA OLHADA EM MINHA PÁGINA DA INTERNET:

    http://OPROFETAMUNDIAL.GOOGLEPAGES.COM

    AGRADEÇO A ATENÇÃO E DEIXO AQUI UM GRANDE ABRAÇO,

    LANDEL MOURA

  2. 17 de dezembro de 2009 at 15:38

    Jesus Cristo já vive agindo a nova éra cristã na terra. E a Espiritualidade que esperava pela sua volta, já pode testemunhar que eu digo a verdade Por principo, basta recompôrmos as 77 letras e os 5 sinais do primeiro livro bíblico, como segue: O PRIMEIRO LIVRO DE MOISÉS CHAMADO GÊNESIS: A CRIAÇÃO DOS CÉUS E DA TERRA E DE TUDO O QUE NÊLES HÁ: Agora, já se pode ver que: HÁ UM HOMEM LENDO AS VERDADES DO SEU ESPIRITO: ÊLE É O GÊNIO CRIADOR QUE CRIA ESSA AÇÃO DE CRISTO. E hoje, quem quiser interagir com o Filho de Deus, deve buscar “A Bibliogênese de Israel”, que já está disponivel na intenet. E quem não quser, pode continuar vivendo de esperança vã, assistindo passivamente a agonia da vida terrena, à par da tuto-destruição do nosso planeta. Esta é a contruição do Autor como auto-ajuda para a Humanidade. Arnaldo Ribeiro ou Israel – 17.12.2009

  3. 15 de julho de 2010 at 08:58

    Sou descendente dos Rolim e achei interessante esta matéria, gostaria de saber mais sobre o assunto.
    grata p atenção

Comments are closed.